Parlamento British Columbia Canadá Mundo Indefinido

Se me segues há algum tempo, o mais certo é saberes que estive a viver no Canadá durante os primeiros 6 meses de 2017. Ainda há muita coisa que quero escrever sobre este país incrível, mas para já deixo aqui 17 curiosidades sobre o Canadá em geral e sobre a cidade de Victoria em particular. Este artigo vem em jeito de celebração pelos 150 anos do Canadá, que se comemoram hoje, 1 de Julho de 2017. É a minha (pequena) homenagem a este país que me acolheu de braços abertos e com um sorriso no rosto. Happy birthday, Canada! Joyeux anniversaire, Canada!

1. O Canadá tem apenas 150 anos. Pode parecer estranho para nós, portugueses, que contamos com centenas de anos como país, mas o Canadá tornou-se numa federação, em parte independente do Reino Unido, apenas em 1867. A 1 de Julho desse ano as províncias de Canadá (que na formação do país foi dividida em Ontario e Québec), Nova Escócia e New Brunswick uniram-se no Dominion of Canada.

Provincias 01 Canadá Mundo Indefinido

2. O governo é uma monarquia constitucional em que a rainha é a Isabel II (essa mesmo, a da Grã-Bretanha). Num dos locais que visitei em Victoria, disseram-me que a rainha era meramente decorativa. O governador-geral do Canadá cumpre a maior parte dos deveres reais, em representação de Isabel II.

Rainha e Totem Canadá Mundo Indefinido

3. As línguas oficiais são o inglês e o francês. Embora a maior parte das pessoas do lado anglo-saxónico tenha um francês um pouco limitado. Na província do Québec, o francês é rei. No resto do país, o inglês domina. Em certas províncias, como Northwest Territories e Nunavut, algumas das línguas aborígenes também são consideradas oficiais.

4. Um dos pratos típicos do país, originário do Quebéc, chama-se poutine. E o que é poutine? Nada mais nada menos do que batatas fritas cobertas por coalhada de queijo e molho de carne. Também há versões vegetarianas. Não é mau, mas não é nenhuma iguaria incrível. De qualquer das formas, vale pela experiência. O aspecto é este:

Poutine Mundo Indefinido

5. Em Victoria, as pessoas agradecem ao motorista quando saem do autocarro. Em Vancouver também acontece, mas com menos frequência. E não estou a falar quando se sai pela porta da frente, é mesmo pela porta de trás. O normal é dizerem "thank you" ou um simples "thanks". Alguns, mais faladores, dizem "thank you driver". Há ainda quem grite a planos pulmões. A maior parte dos motoristas responde com um "have a nice day" ou "have a nice one". Os condutores são, de facto, excelentes. Conduzem bem, no geral esperam que as pessoas se sentem antes de arrancar novamente, e se alguém vier a correr, ficam de portas abertas a aguardar pacientemente. Se eu começar a agradecer aos motoristas da Carris será que se cria uma moda? Mas só para os condutores que merecem, não vou cá andar a agradecer a toda a gente...

6. Em Victoria, as pessoas fazem conversa no atendimento ao público. E não é para agradar, sinto que estão mesmo interessados. Em todos os supermercados a que fui, quem me estava a atender saudava-me com um "how are you today?" e um grande sorriso. Não é que em Portugal tal não aconteça, mas não ao mesmo nível ou com o mesmo entusiasmo com que acontecia em Victoria, isso sem dúvida.

7. Parece barato? O mais certo é o preço não estar a contar com as taxas. Esta é uma das coisas que me estava constantemente a esquecer quando ia comprar alguma coisa, seja um produto ou um serviço. O preço que aparece marcado não inclui o GST (Goods and Services Tax), cuja percentagem varia entre 5, 13 e 15% conforme a província. Na British Columbia, onde eu vivi, o GST era 5%.

8. Os preços são sempre arredondados, tanto inferior como superiormente. A moeda oficial é o dólar canadiano, que tem notas de $5, $10, $20, $50 e $100. As moedas são de 5, 10 e 25 cents e de $1 e $2. O que significa que se alguma coisa custar, por exemplo, $2,86 o preço será $2,90. Por outro lado, se custar $2,82 o preço será $2,80.

9. O cartão de crédito é rei e senhor. Para mim, que nunca utilizo cartão de crédito, esta forma de lidar com o dinheiro é um pouco estranha. Especialmente, como vi acontecer, quando se utiliza um cartão de crédito para comprar bananas. É verdade, bananas, apenas bananas. Mas depois lá me explicaram: a maioria dos cartões de débito deixa fazer cerca de 10 pagamentos gratuitos por mês, sendo que os restantes terão uma taxa associada. Pode-se pagar $10 por mês (o valor depende dos bancos) para se ter pagamentos ilimitados com cartão de débito. Já os cartões de crédito não têm limites de utilização e a cada compra são associados bónus, que depois se podem trocar por bens ou serviços.

10. A maioria dos bancos funciona das 8h00 às 19h00 e aos sábados das 9h00 às 16h00. Os que não têm este horário alargado são considerados bancos de ricos e de homens de negócios, que se podem deslocar aos bancos em qualquer horário e não apenas depois de uma jornada de trabalho até às 18h00.

11. Em algumas estradas, existe uma faixa para quem for acompanhado. E pode-se virar à direita mesmo que o sinal esteja vermelho. Nas auto-estradas ou nas vias rápidas a faixa mais à direita, sempre que estiver indicado por uma sinalização que representa um carro e dois passageiros, só pode ser utilizada por pessoas que não estejam a viajar sozinhas. E não, quem está sozinho não se mete nessa faixa.

Estrada Canadá Mundo Indefinido

12. Os carros são todos automáticos. Provavelmente isto não é novidade para ninguém, e o mesmo também acontece nos EUA, mas ninguém conduz carros com mudanças pelo Canadá. Até eu, quando aluguei um carro, porque não havia nenhuma outra opção. Nos primeiros minutos andava sempre a procurar a mudança quando travava ou quando queria acelerar. Por um lado é um descanso, por outro é bem diferente daquilo a que estou habituada.

Carro Canadá Mundo Indefinido

13. Quando se entra em casa, toda a gente tira os sapatos. Mesmo na casa dos outros. Embora tal coisa não seja específica do Canadá (no Japão e na Rússia também tive de o fazer), esta prática parece-me bem interessante e vou tentar trazê-la para Portugal. Ou para minha casa, pelo menos. Penso que faz todo o sentido: os sapatos, e toda a porcaria da rua que está presente nas suas solas, ficam à entrada. A casa fica muito mais limpa, a sério.

14. O preço das telecomunicações é estupidamente caro e pagas as chamadas que os outros te fazem. Quando comprei o meu cartão SIM, para ter um número canadiano enquanto por lá andava, perguntaram-me se o meu plano tinha chamadas. Disse que não, que apenas tinha mensagens ilimitadas, porque era bastante mais barato (os planos com 1000 minutos em chamadas podem rondar os $60 por mês, só pelas chamadas). Estranhei a resposta, porque me disseram em seguida "ah então não te posso ligar". Como assim, não me podes ligar? Eu é que não tenho chamadas incluídas... Pois, não é bem assim: quando se faz uma chamada, os minutos (ou o preço da chamada) são descontados tanto para quem faz a chamada como para quem recebe! Achei surreal.

15. Perfumes e cheiros fortes não são bem-vindos. Em Victoria, as pessoas são muito sensíveis aos cheiros. É um pouco mal visto comer-se num espaço público, como um jardim, algo com um cheiro forte. Da mesma forma, pessoas que se banham em perfume também são vistas de lado. Segundo o que me disseram, a não utilização de perfume ou comer algo não muito cheiroso é uma questão de respeito, pois nunca se sabe se não há alguém que seja sensível aos cheiros e se sinta mal com odores mais pronunciados.

16. As eleições ocorrem num dia de semana. Se em Portugal votamos ao fim-de-semana, para as pessoas irem votar, no Canadá é durante a semana. Isso implica que se pode votar em qualquer uma das secções de voto, apesar de existirem lugares destinados a determinados eleitores. Mas se der mais jeito votar perto de casa, pode-se fazer. Se der mais jeito votar ao pé do trabalho, na pausa de almoço, também se pode fazer. E se se quiser votar a caminho da ida ao supermercado, também é possível.

17. Na província da British Columbia há animais por todo o lado!  A passear livremente por entre as casas, como se nada fosse. Vi veados grandes e pequenos, esquilos e guaxinins. É das coisas que mais vou ter saudades, sair de casa e ter uma família de veados a olhar para mim. É absolutamente incrível.

Esquilo Canadá Mundo Indefinido

2 comentários

  1. Tanta semelhança com os EUA, não é de admirar hehe olha que eu também agradeço aos motoristas de transportes se passar por eles =) sou muito.simpática! Digo obrigada e resto de um bom dia.
    Essa comida não me parece nada boa, só porque tem queijo.era capaz de experimentar a versão vegetariana.
    As taxassss, quantas vezes fui enganada. Então e comer fora que implica preços sem.taxas no menu e ainda a gorjeta de 10 a 15%? Ahhh poize!!

    1. Eu também agradeço se passar por eles, mas em Victoria agradecem quando saem pela porta de trás, sem passar por ninguém 🙂 Alguns gritam mesmo lá para a frente ahah O poutine até não é mau, mas há comidas mais interessantes.
      Nos EUA a gorjeta é sempre esperada? Em Victoria era só para grupo de +6 pessoas, sendo automaticamente incluída no preço final.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *