Dicas, Europa

InterRail: O Alojamento

Alojamento InterRail Pexels

(via Pexels)

Quando se faz um InterRail e se anda a explorar cidades, é garantido que os dias vão ser longos, com muita caminhada. Assim, é importante ter um bom sítio para descansar e recuperar forças para o dia seguinte. Dependendo do tipo de local que se escolha para passar a noite, os preços podem variar bastante. Felizmente, há opções para todas as carteiras, e fica aqui uma lista de algumas delas.

Hotéis

No geral, os hotéis são a forma mais cómoda de passar a noite, e a que oferece mais privacidade. No entanto, são também os estabelecimentos mais caros. Ainda assim, há alguns hotéis, de 1 ou 2 estrelas, com preços mais acessíveis. O Booking é um bom site para procurar hotéis, comparar preços, ver a opinião de outras pessoas, assim como fazer reservas.

Hostels / Albergues / Pousadas

Hostels, albergues ou pousadas têm um ambiente mais informal do que um hotel. Paga-se por uma cama, normalmente em beliche, num dormitório partilhado com outras pessoas. Os dormitórios podem ser mistos ou separados por género. Em alguns estabelecimentos também existem quartos privados, mas por um preço mais elevado. É costume haver cacifos, existir uma cozinha para preparar refeições, Internet grátis e, muitas vezes, o pequeno-almoço está incluído. Mesmo em cidades mais caras é possível encontrar camas em dormitório a preços simpáticos (10€-12€ por noite, procurando bem).

Na Europa de Leste, os preços baixam bastante, sendo possível encontrar locais com condições interessantes a preços abaixo dos 10€. O Booking e o HostelWorld são bons sites para se procurar alojamentos deste tipo, ver a opinião de outras pessoas, assim como fazer reservas. No segundo, normalmente é cobrado um valor pela reserva, sendo depois descontado no valor total a pagar à chegada.

Parques de campismo

Pode não ser uma opção óbvia, mas acampar pode permitir poupar bastante dinheiro em alojamento. Os parques de campismo costumam ter chuveiros com água quente (paga ou não), lojas de conveniência e cacifos.

Apesar de os preços serem atractivos, este tipo de alojamento apresenta algumas desvantagens. A primeira é o facto de ter que se carregar a tenda e o saco-cama durante toda a viagem, o que faz aumentar bastante o peso da bagagem. Depois, a maioria dos parques de campismo não se encontra perto das cidades e das estações de comboio, o leva a deslocações extra.

Outras opções

O Couchsurfing permite a um viajante ficar em casa de um anfitrião, numa cama extra ou num sofá, de forma gratuita. O alojamento é inteiramente consensual entre o anfitrião e o convidado, sendo que a duração e os termos para a estadia são acordados previamente. É verdade que há sempre um risco associado, pois não se conhece a pessoa. No entanto, tenho confiança na humanidade, e penso que o sistema de críticas que existe no site pode ajudar na escolha do melhor local para ficar e da pessoa que nos vai receber.

Através do airbnb é possível ficar numa casa de um particular, que não está habitada por ele nessa altura. Os preços variam bastante, e em alguns casos podem ficar mais elevados do que num hotel. No entanto, é possível ter a casa inteira à disposição, o que permite ter uma maior liberdade e privacidade.

 

Nota final: Em particular no caso dos hotéis e dos hostels, e especialmente se se viajar em época alta, talvez não seja má ideia reservar os primeiros locais onde se pretende passar a noite. Claro que quem quiser liberdade total, pode arriscar e tratar do alojamento apenas no dia da chegada. Apenas não há garantias de que se consiga um sítio agradável a um preço em conta. Tanto no Couchsurfing como no airbnb, os detalhes têm que ser tratados com antecedência, e aconselho a que se tenha um plano B, caso o que foi previamente combinado não seja cumprido por alguma razão.

Conheces outros locais onde se possa passar a noite?
Qual é o teu preferido?