China, Pequim

Como fazer a caminhada de Jiànkòu até Mùtiányù, na Grande Muralha da China

Jiànkòu Grande Muralha da China Mundo Indefinido

Percorrer a Grande Muralha da China em Jiànkòu (箭扣) foi um dos pontos altos da minha viagem pelo caminho-de-ferro transiberiano (ou transmongol, sendo mais precisa). Das várias secções da Muralha, Jiànkòu é a que está mais selvagem e cuja caminhada é mais desafiante.

Antes de decidires fazer como eu e embarcar nesta aventura de percorrer Jiànkòu, tem em atenção o seguinte:

  • Não é propriamente legal percorrer secções não restauradas da Grande Muralha da China. Jiànkòu terá sido construída em 1368 e não teve nenhuma intervenção desde 1644! Esta secção não está oficialmente aberta ao público.
  • É uma caminhada fisicamente exigente. Jiànkòu não é para toda a gente e não há mal nenhum nisso. O mais importante é conhecermos as nossas capacidades e não nos colocarmos num risco desnecessário. Há outras secções da Muralha que são adequadas para toda a gente. Até há secções adaptadas para cadeiras de rodas.
  • Pode ser perigoso, se não tiveres cuidado onde pões os pés. Há pedras e vegetação um pouco por todo o lado, e há partes da Muralha a cair, por isso seria negligente andar por ali como num outro passeio qualquer.

Dito isto, se queres mesmo percorrer, de forma independente, a Grande Muralha da China em Jiànkòu, este artigo é para ti! Claro que podes sempre contratar um guia local ou deixar que uma agência trate de tudo por ti.

De sul para norte ou de norte para sul?

Encontrando-se entre as secções Huanghuacheng (黄花城) e Mùtiányù (慕田峪), é possível percorrer Jiànkòu nos dois sentidos. O percurso completo, de norte para sul, começa no chamado Nó de Pequim (do inglês Beijing Knot, 北京结), que marca o final da secção Huanghuacheng. A caminhada vai até à Torre 23, que marca o início de Mùtiányù. No total, são mais de 17 quilómetros. Com subidas e descidas acentuadas, equivale a mais de 30 quilómetros em terreno dito normal.

O percurso inverso, de sul para norte, é o mais desafiante, em particular desde a Torre Zhengbei (正北楼) até ao Nó de Pequim. Em algumas zonas, é mesmo necessário sair da Muralha, porque esta se encontra totalmente destruída, e voltar a entrar mais à frente. Independentemente da direcção, um dia não costuma ser suficiente para fazer o percurso completo.

Assim, o mais comum, é fazer-se apenas parte do percurso. Entrando na Muralha pela Torre Zhengbei, a caminhada de Jiànkòu até Mùtiányù (sentido sul) faz-se em cerca de 4 horas. No entanto, é necessário reservar o dia todo para esta aventura. Foi essa a minha escolha, e é sobre este percurso que te falo aqui.

Como ir de Pequim até à aldeia Xizhazi (西栅子)

Ao contrário de outras secções, não há nenhum transporte de Pequim até Jiànkòu. Não dá para ir de carro nem de transporte público. O mais perto que se consegue chegar é à aldeia Xizhazi (西栅子).

A aldeia tem 6 grupos, que em mandarim se chamam dui (队). Dos diferentes grupos, tem-se acesso a zonas distintas de Jiànkòu. Por exemplo, para se chegar ao Nó de Pequim, o melhor será partir do grupo 5. Para a Torre Zhengbei, no entanto, o que nos interessa é o grupo 2.

  • Grupo 1 (1队): Nangou cun (南沟村)
  • Grupo 2 (2队): Nanjili cun (南吉利村)
  • Grupo 3 (3队): Qianzhazi cun (前栅子村)
  • Grupo 4 (4队): Houzhazi cun (后栅子村)
  • Grupo 5 (5队): Jiushuikeng cun (旧水坑村)
  • Grupo 6 (6队): Duishi cun (对石村)

Vamos então perceber como chegar à aldeia Xizhazi Nanjili.

Opção 1: apenas de transportes públicos (uma manhã e mais um pouco)

Utilizando apenas transportes públicos, é necessário apanhar dois autocarros. O primeiro é o autocarro 916快 (este símbolo é importante, significa expresso). Apanha-se na central de autocarros Dongzhimen (东直门公交枢纽). O bilhete custa 12¥ (embora eu tenha pago 11¥). Leva dinheiro certo, porque o dinheiro é colocado num recipiente que não dá troco.

Indo de metro até à central de autocarros, a estação tem o mesmo nome: Dongzhimen (东直门公交枢纽, linha 2, azul, circular). Na saída do metro , é só seguir as setas que dizem Bus Transfer Hall (公交換乘).

Estação Autocarros Pequim China 01 Mundo Indefinido Estação Autocarros Pequim China 02 Mundo Indefinido Estação Autocarros Pequim China 03 Mundo Indefinido

Há autocarros de 5 em 5 minutos, desde as 5h50 até às 19h50. O autocarro demora cerca de 1 hora a fazer o percurso. A saída é na paragem Yangjiayuan (杨家园). Há muitos turistas que saiem na paragem anterior, Huairoubeidajie (怀柔北大街). Pode até haver algumas pessoas que te dizem para sair, mas não o faças.

Após saíres em Yangjiayuan, segue em frente e vira na primeira à esquerda, na rua Yujiayuan (于家园). Segue essa rua até ao cruzamento com a rua Kaifang (开放) e vira à esquerda novamente. Um pouco mais à frente, vais encontrar um terminal de autocarros do lado direito da estrada. É aí que se apanha o próximo autocarro, na paragem Yujiayuan (于家园). O mapa em baixo pode ajudar na orientação.

Na paragem Yujiayuan, tem de se apanhar o autocarro H25. Há apenas dois por dia. O primeiro é às 11h30 e o segundo é às 16h30. O ideal será apanhar o primeiro, por isso entra no 916快 o mais tardar às 10h. Assim, há tempo suficiente para encontrar a paragem do H25.

Tem em atenção que pode não haver uma placa a indicar H25. No entanto, o autocarro vai aparecer. As placas por vezes são retiradas por taxistas não oficiais. Se alguém te disser que não há autocarros e se oferecer para te levar (por um preço bem mais elevado), ignora. O H25 vai chegar às 11h30. O bilhete custa 8¥. A aldeia encontra-se numa área protegida, e é necessário pagar 20¥ adicionais para entrar.

O autocarro demora pouco mais de 1 hora a fazer o percurso até Xizhazi. Infelizmente, a sua rota não passa no grupo 2.  Mas passa no grupo 3, e é aí que deves sair. Ao entrar no autocarro, pede ao motorista para te informar onde deves sair. Caso haja problemas de comunicação, mostra-lhe isto: 西栅子村3队. 

Ao sair do autocarro, é só seguir em frente até se encontrar uma pequena ponte com um arco, do lado esquerdo. Atravessa a ponte e anda cerca de 10 minutos. Vais encontrar uma grande placa azul, indicando que aquela zona da Muralha não está aberta ao público.

Parabéns, chegaste à aldeia Xizhazi Grupo 2! Agora começa a segunda parte, a caminhada até à Torre Zhengbei.

Opção 2: de transportes públicos e táxi (uma manhã)

Ao se utilizar transportes públicos e táxi, o percurso é muito similar à opção 1. A principal diferença é que não se apanha o segundo autocarro, mas sim um táxi, e sai-se um pouco mais à frente no primeiro autocarro.

Então porquê fazer esta opção? Bem, o segundo autocarro começa apenas às 11h30 e só há dois por dia. Apanhar o primeiro autocarro e depois um táxi é a melhor solução para quem tem menos tempo e um orçamento um pouco apertado.

É necessário apanhar o autocarro 916快 (este símbolo é importante, significa expresso). Apanha-se na central de autocarros Dongzhimen (东直门公交枢纽). O bilhete custa 12¥ (embora eu tenha pago 11¥). Leva dinheiro certo, porque o dinheiro é colocado num recipiente que não dá troco.

Indo de metro até à central de autocarros, a paragem tem o mesmo nome: Dongzhimen (东直门公交枢纽, linha 2, azul, circular). Na saída do metro , é só seguir as setas que dizem Bus Transfer Hall (公交換乘).

Há autocarros de 5 em 5 minutos, desde as 5h50 até às 19h50. O autocarro demora cerca de 1 hora a fazer o percurso. A saída é na última paragem, Huairouqichezhan (怀柔汽车站). Numa das paragens anteriores, há muitos turistas que saem e até pode haver algumas pessoas locais que te dizem para sair. Não o faças, vai até à última paragem.

Chegando a Huairouqichezhan, é altura de negociar o preço do táxi. Arranjar taxistas não é difícil, há vários que "atacam" assim que se sai do autocarro. É só questão de arranjar o melhor preço. Qualquer valor abaixo de 150¥ é aceitável. Mais do que isso, vira as costas e vai-te embora. De certeza que encontras outro taxista para te levar.

É preciso dizer claramente que se quer ir para Jiànkòu e não para Mùtiányù. Os taxistas tipicamente não falam inglês, por isso podes-lhe mostrar isto: 西栅子村2队 (Xizhazi Grupo 2), ou 正北楼 (Torre Zhengbei). A aldeia encontra-se numa área protegida, e é necessário pagar 20¥ para entrar.

O nosso taxista deixou-nos mesmo no sítio certo, na entrada do grupo 2. Vai com atenção ao caminho, tens de passar por uma pequena ponte com um arco, do lado esquerdo. Deves sair ao pé de uma grande placa azul, indicando que aquela zona da Muralha não está aberta ao público.

Parabéns, chegaste à aldeia Xizhazi Grupo 2! Agora começa a segunda parte, a caminhada até à Torre Zhengbei.

Opção 3: apenas de táxi (duas horas)

Não havendo restrições de orçamento, a opção mais rápida é apanhar um táxi logo em Pequim. O mais fácil será pedir na recepção do alojamento onde te encontrares para te chamar um táxi.

Os taxistas tipicamente não falam inglês, por isso podes-lhe mostrar isto: 西栅子村2队 (Xizhazi Grupo 2). Aqui, é importante negociar o preço. Podes decidir se queres apenas uma viagem de ida ou uma viagem de ida e volta. Nas viagens de ida e volta, o preço varia conforme o tempo que o taxista tem de esperar por ti.

Para não teres de andar para trás, podes combinar que te deixe em Jiànkòu e te vá buscar a Mùtiányù algumas horas mais tarde. Dá tempo suficiente para fazeres a caminhada com calma. Conta com pelo menos 1 hora para ires de Xizhazi até à Muralha e mais 4 horas até Mùtiányù.

Para referência, os taxistas cobram em torno de 700-900¥ por uma viagem de ida e volta de Pequim a Mùtiányù. Xizhazi é um pouco mais longe, por isso o preço também pode ser um pouco mais elevado.

A subida da aldeia Xizhazi até à Torre Zhengbei

Em Xizhazi Grupo 2 há uma grande placa azul, indicando que aquela zona da Muralha não está aberta ao público. É esta que mostro na imagem abaixo. Quando chegares a esta placa, segue pelo caminho que está mesmo ali ao lado.

Xizhazi China Mundo Indefinido

O caminho até à Torre Zhengbei não é fácil. Sempre a subir, há quem demore quase 2 horas. Também há quem o tenham feito em 30 minutos. Nós demorámos 1 hora, com paragens pelo caminho.

Há algumas pessoas que se perdem, por isso é preciso ter algum cuidado. Há duas bifurcações no caminho. Virando no local errado, em vez de uma hora demora-se facilmente duas ou três. Na altura, acabámos por seguir, de forma discreta, um grupo organizado que chegou a Xizhazi pouco depois de nós. Eu apontei, para da próxima vez saber: na primeira bifurcação vira-se à esquerda, na segunda vira-se à direita. Sabes que chegaste quando vires uma Torre meia destruída bem perto de ti.

Tinha lido que, para se conseguir subir para a Torre, havia escadas de madeira. São os habitantes locais que as colocam e cobram 5¥ pela utilização. No entanto, quando eu fui não se encontravam por ali. Tivemos de subir por um amontoado de pedras que alguém tinha colocado.

Jiànkòu Grande Muralha da China 01 Mundo Indefinido Jiànkòu Grande Muralha da China 02 Mundo Indefinido

A vista da Torre é extraordinária. Há uma natureza imensa ali à volta, tentando romper pela Muralha. Se quiseres, podes ainda subir à Torre, mas tem muito cuidado onde pões os pés. Os tijolos estão a cair e é muito fácil cairmos também.

Quando aqui chegares, já se terão passado pelo menos 3 horas desde que saiste de Pequim. No entanto, é só na Torre Zhengbei que a caminhada pela Grande Muralha da China realmente começa.

Desde a Torre Zhengbei até ao Chifre de Boi (do inglês Ox Horn, 牛角边)

Perto de 30 minutos depois de começares a caminhada, há uma escolha que tem de ser feita: ou vai-se por um atalho pelo meio das árvores, ou soube-se e desce-se o Chifre de Boi (牛角边).

Jiànkòu Grande Muralha da China 06 Mundo Indefinido

Esta é, sem dúvida, a parte mais desafiante do percurso. Se quiseres ir pelo atalho, é muito fácil. Há uma Torre com uma marca a dizer MTY. Aí, é só seguir a seta. Cerca de 5 minutos depois, consegues voltar a subir para a Muralha, já do outro lado do Chifre de Boi. Nós não quisemos seguir o atalho, e resolvemos continuar em frente.

Jiànkòu Grande Muralha da China Cifre de Boi Mundo Indefinido

O caminho pelo Chifre de Boi está totalmente destruído e é de uma inclinação surreal. O chão é extremamente irregular e tanto a subida como a descida são incrivelmente íngremes. Ao descer, temos até de nos agarrar nas laterais para não cair! Se tens um pouco mais de tempo, vale muito a pena. Mesmo. Cheguei bem cansada lá acima, mas a vista compensou tudo.

Do Chifre de Boi até Mùtiányù

Passaste a parte mais desafiante do percurso. A partir de agora a caminhada torna-se bem mais fácil. À medida que fores andando, vais notar que há uma grande diferença na Muralha. As paredes já não estão a cair, e o chão encontrava-se mais nivelado. Lentamente, deixas o lado bravio, e entras na reconstrução que é Mùtiányù.

A Torre 20 de Mùtiányù está fechada, por isso é necessário passar um pequeno muro. Num primeiro olhar, pode parecer alto, mas não é. É bastante fácil passar, e ainda poupas dinheiro no bilhete de entrada.

Jiànkòu Grande Muralha da China Passagem Mùtiányù 01 Mundo Indefinido Jiànkòu Grande Muralha da China Passagem Mùtiányù 02 Mundo Indefinido

Agora, só tens de continuar a andar mais um pouco. Há três formas de saíres de Mùtiányù: a pé, numa espécie de escorrega, ou de teleférico. O mais rápido é, sem dúvida, o teleférico. A viagem, num só sentido, custa 100¥.

O regresso a Pequim

Se decidiste começar esta viagem de transportes públicos, a volta certamente também será dessa forma. De Mùtiányù, mesmo ao pé da entrada, pode-se apanhar o autocarro 867. Vai directamente para a estação central Dongzhimen. No entanto, apenas funciona de 15 de Março a 15 de Novembro, às 14h00 e às 16h00. Nós chegámos antes das 16h00 e esperámos por ele, mas o autocarro não apareceu. 

Andando um pouco mais, vai-se dar a uma estação com mais autocarros locais, que vão para Huáiróu (怀柔区). Daqui, consegues apanhar novamente o 916 ou o 916快 para a estação central Dongzhimen.

Ficaste com alguma dúvida?
Diz-me nos comentários!